PARES ANTAGÔNICOS: MEDOLOGIA POSSÍVEL PARA ANÁLISE DE CONTEÚDOS EM PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO

Vania Marques Cardoso

Resumo


A presente comunicação foi desenvolvida a partir da realização da dissertação da pesquisa denominada:  Tempo para colaborar? Olhares sobre o significado e os sentidos atribuídos pelos docentes ao horário de trabalho coletivo. Objetiva-se discutir a opção metodológica por pares antagônicos de categorias, dada a forma paradoxal que os discursos dos dez docentes entrevistados se apresentaram. A pesquisa, fundamentada na teoria crítica, especialmente em T. W. Adorno, trouxe a contribuição de autores que refletem sobre o horário coletivo há mais de vinte anos, foi desenvolvida em 2014 e 2015 e tematiza a relevância do horário de trabalho coletivo e como os docentes o percebem. Problematiza-se como a abordagem metodológica é escolha realizada a partir do referencial teórico e de que forma ter optado pela utilização de pares antagônicos possibilitou, na referida pesquisa, contrapor significados sociais, sentidos subjetivos e propostas de intervenção dos docentes. Como hipótese principal coloca-se que a pesquisa crítica deva partir das contradições discursivas como dado da análise social, fazendo emergir antagonismos num jogo que aproxima e nega a síntese de produção teórica, base do trabalho dissertativo. Relata-se o foco metodológico da pesquisa em questão, sob orientação da Prof. Doutora Rose Roggero da UNINOVE de São Paulo, utilizando pares antagônicos para revelar contradições dentro do próprio discurso e entre discursos.


Texto completo: Trabalho completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.