RETEXTUALIZAÇÃO: A PESQUISA-AÇÃO COMO MÉTODO DE TRABALHO

Priscila Strenzel

Resumo


Os estudos desenvolvidos em cursos de licenciaturas nem sempre aproximam as teorias à prática, deixando lacunas que apenas desvelam-se no momento em que o aluno, ou então já professor, é inserido na escola básica. Essas lacunas e a dissociação entre teoria e prática tornaram-se o norte para estabelecer a questão a ser pesquisada. Busca-se, com esse estudo, uma forma de trabalhar a formação do aluno produtor de textos e suas necessidades cotidianas relacionadas à linguagem por meio da retextualização de gêneros textuais, na tentativa de contribuir para avanços no ensino da Língua Portuguesa. Este estudo tem como principal objetivo contribuir para a formação de alunos produtores de textos, usando da retextualização de gêneros textuais para tornar possível agregar às aulas de Língua Portuguesa as três dimensões necessárias para um bom desempenho na produção textual em língua materna: leitura, produção e análise linguística. Acredita-se que a pesquisa-ação é a melhor metodologia a ser utilizada na realização desse estudo porque é justamente o que permite aos professores-pesquisadores utilizarem suas pesquisas para aprimorarem suas práticas. Dessa forma, a pesquisa-ação deve sempre estar presente na vida dos(as) docentes, é uma forma de reflexão e ação sobre a própria práxis, sistematizando o agir no campo da prática e a investigação a respeito dela. Como aporte teórico, recorreu-se à MARCUSCHI (2008) para os gêneros textuais, KOCH (1991) para a Linguística Textual, DELL ISOLA (2007) para retextualização de gêneros textuais e TRIPP (2005) para a pesquisa-ação. A pesquisa encontra-se em fase de andamento.


Texto completo: Trabalho completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.