A MAQUINARIA DOS CORPOS NO FAZER PEDAGÓGICO DOS CURSOS DE ENGENHARIA CIVIL E PSICOLOGIA

Fernanda Aparecida de Mello

Resumo


Introdução: O texto é resultado de pesquisa de iniciação científica realizada por docentes e discentes do Mestrado em Educação e do curso de Psicologia da Unochapecó. A pesquisa aconteceu junto a acadêmicos dos cursos de Engenharia Civil e de Psicologia da instituição. Pensar no fazer pedagógico na educação é também, pensar em como estes corpos são assujeitados para a produção do conhecimento. Problematizando o fazer pedagógico objetivamos compreender a experiência afetiva de acadêmicos no que tange à relação entre corpos e práticas pedagógicas nos Cursos de Engenharia Civil e de Psicologia da Unochapecó. Metodologia: Foram convidados acadêmicos de uma turma de cada curso para fazer um desenho a partir da pergunta: Como se sentiam após um dia de aula?. Para o grupo focal foi selecionados alguns desenho e após discutido sobre eles e sobre a percepção dos discentes sobre seus corpos ao final do dia. A análise foi realizada com base nos textos de Michel Foucault e Gilles Deleuze. Principais Resultados: Grande parte dos discentes deixa transparecer em seus desenhos e falas o cansaço de seus corpos, tanto pela dupla jornada (trabalho e estudo) ou por estudarem em período integral. Conclusões: A análise pretende conhecer as narrativas que descrevem como os modos de vida no contexto universitário se articulam com os enunciados que orientam as práticas pedagógicas na relação com os corpos de estudantes. Essa perspectiva possibilita, através da análise micropolítica do cotidiano, a desnaturalização de discursos e práticas acerca das violências e permite abranger tanto o pesquisador como o pesquisado como participantes da produção do conhecimento.

Texto completo: Trabalho completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.