Política de saúde mental no Brasil: alguns apontamentos

Autores

  • Ellayne Karoline Bezerra da Silva

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v1i53.13289

Palavras-chave:

Políticas sociais, Política de saúde, Política de saúde mental

Resumo

Estudo sobre a trajetória das políticas sociais no Brasil com recorte ao período de 1930 aos dias atuais, utilizando o método de pesquisa bibliográfica, de modo a mostrar mais especificamente o resgate histórico da política de saúde mental brasileira enquanto política de saúde, identificando suas principais características e os desafios que permeiam esta política no contexto social atual. De acordo com os autores estudados, percebeu-se que o sistema de proteção social brasileiro, mesmo diante dos significativos progressos quanto a ampliação dos direitos sociais, ainda é definido como um sistema de não redistributividade, reflexo da sua construção que foi caracterizada pela centralização política e financeira no governo federal e nas ações sociais, fragmentação institucional, exclusão da população à participação política, o autofinaciamento social, a privatização e o clientelismo que ainda persiste em muitos segmentos sociais. Reflexos estes que também perpassam pelas demais politicas públicas, incluindo a de saúde, bem como saúde mental, que está envolta por grandes desafios na sua trajetória de construção.

Biografia do Autor

Ellayne Karoline Bezerra da Silva

Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal do Piauí (2010), Mestre em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Piauí (2015) e Doutora em Políticas Públicas pela UFPI (2019). Atua principalmente nos seguintes temas: transtorno mental, saúde mental, família e políticas públicas.

Downloads

Publicado

2019-10-21

Edição

Seção

Artigos