Alta social como dispositivo de proteção integral na saúde: contribuições do serviço social

Autores

  • Deise Seibert Universidade Federal de Santa Maria
  • Fernanda da Rosa Nunes Mangini Universidade Federal de Santa Maria
  • Sheila Kocourek Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v1i53.13716

Palavras-chave:

alta social, planejamento da alta, questão social, vulnerabilidade social.

Resumo

No processo de alta social, as demandas e necessidades referentes ao processo de saúde e doença são apreendidas a partir das expressões da questão social. A alta social é tomada aqui como um dispositivo de proteção e atenção integral aos usuários, na perspectiva do SUS e, também, de ampliação e consolidação da cidadania, ela está ancorada no projeto ético-político do Serviço Social. Busca-se analisar a alta social sob um viés histórico e teórico, tendo como referência o Serviço Social de um Hospital Escola, no centro do Rio Grande do Sul, no qual constatou-se que a reinternação ocorria com frequência. Mediante a realização de um projeto de intervenção que concebe a alta social como um procedimento desenvolvido pelo Serviço Social, verificou-se resistências, sobretudo pelo modelo biomédico ainda hegemônico, que desconsidera, em parte, aspectos que compõe o cotidiano dos sujeitos.

Biografia do Autor

Deise Seibert, Universidade Federal de Santa Maria

Assistente Social, graduada pela Universidade Federal de Santa Maria.

Fernanda da Rosa Nunes Mangini, Universidade Federal de Santa Maria

Assistente Social, Mestre e Doutora em Serviço Social. Docente do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Santa Maria

Sheila Kocourek, Universidade Federal de Santa Maria

Profª. Drª. Sheila Kocourek Universidade Federal de Santa Maria CCSH - DSS - Serviço Social

Downloads

Publicado

2019-10-21

Edição

Seção

Artigos