Movimento feminista e antimanicomial: uma análise das lutas por direitos em uma sociedade capitalista-patriarcal

Autores

  • Alessandra Rodrigues Sardeto Centro Universitário Ingá (UNINGÁ)
  • Natalia Bazarghi Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR)
  • Daniele Andrade Ferrazza Universidade Estadual de Maringá (UEM)

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v0i58.15204

Palavras-chave:

movimentos sociais, feminismo, luta antimanicomial, normatização da vida

Resumo

O presente artigo tem como objetivo compreender possíveis conexões entre o movimento feminista e o movimento antimanicomial, para isso, por meio de revisão bibliográfica, busca-se contextualizar os movimentos sociais e realizar a análise histórica de ambos afim de esclarecer suas motivações, formas de atuação na luta por direitos e atendimento de demandas dos sujeitos envolvidos com pretensões de alcançar transformações sociais. Dessa forma, o material discute as confluências e divergências entre o movimento feminista e antimanicomial, na tentativa de ampliar e construir o debate acadêmico acerca do assunto, que se transforma diariamente, de modo democrático e dialético. Considera-se que a sociedade pós-industrial foi se moldando de acordo com uma lógica edificada na estrutura capitalista, patriarcal e machista, que tende a universalizar o humano, excluindo as diferenças. Nesse sentido, o que não se encaixa nessa ótica é considerado anormal e por isso passa a ser rechaçado e isolado perante a sociedade, sendo justamente a normatização da vida um dos aspectos de contestação dos movimentos sociais que se articulam para garantir direitos sociais e políticos aos atores envolvidos nas mobilizações.

Biografia do Autor

Alessandra Rodrigues Sardeto, Centro Universitário Ingá (UNINGÁ)

Atua como Psicóloga Clínica em Maringá. Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e graduação em Psicologia, pelo Centro Universitário Ingá.

Natalia Bazarghi, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR)

Possui graduação e mestrado em Psicologia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e doutorado em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista (Unesp/Assis). Trabalha como professora universitária.

Daniele Andrade Ferrazza, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Professora do Programa de Pós-Graduação e da Graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Doutora e mestre pela Universidade Estadual Paulista– Unesp/ Assis-SP.

Downloads

Publicado

2021-01-26

Edição

Seção

Artigos