COESÃO E ADAPTABILIDADE CONJUGAL EM HOMENS E MULHERES HETERO E HOMOSSEXUAIS

Autores

  • Clarisse Pereira Mosmann
  • Eduardo Lomando
  • Adriana Wagner

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v0i0.1644

Palavras-chave:

relações conjugais, homossexulidade, heterossexualidade.

Resumo

A diversidade nas configurações conjugais é um fenômeno em expansão que vem dando visibilidade a arranjos tais como os casais de gays e lésbicas. Esse panorama traz diversos questionamentos quanto à forma como esses casais lidam com suas relações amorosas, especificamente em comparação aos casais heterossexuais. A fim de entender melhor esses aspectos, comparamos um grupo de heterossexuais (149 homens e 149 mulheres) com outro de homossexuais (77 homens gays e 34 mulheres lésbicas), sendo que todos estavam num relacionamento amoroso, a partir do instrumento FACES III, que mede as dimensões de coesão e adaptabilidade conjugal. Comparamos os grupos como um todo, em relação ao sexo – homens heterossexuais com homens gays, mulheres heterossexuais com mulheres lésbicas – assim como os homens gays com as mulheres lésbicas. As médias de coesão e adaptabilidade dos homossexuais foram significativamente maiores quando comparadas às dos heterossexuais, mas não houve diferença significativa quanto à comparação entre gays e lésbicas. Os dados possivelmente apontam para as diferenças entre as configurações conjugais. Fatores como filhos e a instituição do casamento podem contribuir para diminuir os níveis de qualidade conjugal, assim como, por outro lado, a maior flexibilidade dos papéis de gênero e o afeto como fundação da relação conjugal também podem estar associados aos maiores níveis de coesão e adaptabilidade dos casais do mesmo sexo.

Downloads

Publicado

2011-02-20

Edição

Seção

Artigos