A RELAÇÃO ENTRE PAI E FILHO(S) APÓS A SEPARAÇÃO CONJUGAL

Autores

  • Jessica Cerezer Arend
  • Karina Silva Molon de Souza
  • Luciane Najar Smeha

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v0i37.1748

Palavras-chave:

Paternidade, Separação conjugal, Relação pai-filho.

Resumo

A relação entre pai e filho(s) após a separação conjugal é um tema que vem sendo discutido na atualidade em decorrência das novas configurações familiares. Frente a essa realidade, foi realizado um estudo com o objetivo de compreender a relação entre o pai e seus filhos após o término do casamento. A pesquisa foi desenvolvida sob abordagem qualitativa, e teve caráter exploratório. Participaram do estudo quatro pais, separados conjugalmente, e que não possuem a guarda dos filhos, sendo os dados colhidos por meio de entrevista. Os depoimentos dos participantes do estudo foram analisados pela técnica de Análise de Conteúdo, cujo princípio básico é investigar através da descrição objetiva, sistemática e qualitativa, o conteúdo que é comunicado. Como resultados o estudo apontou as novas organizações sociais das relações de gênero, onde os pais tem se mostrado mais participativos e envolvidos com os filhos, dispondo-se a investir mais na relação entre ambos. Foi possível perceber que a separação conjugal gera conflitos e sentimentos nesses pais, como angústia, frustração e exclusão, mas apesar disso, este fato possibilita uma reconstrução afetiva entre pai e filhos, fortalecendo a relação entre ambos.

Downloads

Publicado

2013-01-22

Edição

Seção

Artigos