A ACEPÇÃO DE FAMÍLIA NA TEORIA PSICANALÍTICA: SIGMUND FREUD, MELAINE KLEIN E JACQUES LACAN

Autores

  • Wilson Camilo Chaves UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI - ufsj
  • João Gualberto Teixeira de Carvalho Filho Universidade Federal de São João del Rei - MG

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v2i41.4410

Palavras-chave:

Psicanálise, Complexo de Édipo, Família.

Resumo

Percorrem-se os escritos de Freud, Melaine Klein e Lacan, para sistematizar a acepção de família trabalhada por cada um destes autores, bem como examinar as continuidades e descontinuidades destas acepções. Em seguida, apresentamos algumas considerações sobre o atendimento clínico com a família. Diferente do aconselhamento, da pedagogia, ou da perspectiva grupal, sob a ética da psicanálise, cada família é tomada na lógica do coletivo, que não se furta à incidência do estranho, do real.

Biografia do Autor

Wilson Camilo Chaves, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI - ufsj

Professor da Graduação e Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de São João del Rei

João Gualberto Teixeira de Carvalho Filho, Universidade Federal de São João del Rei - MG

Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), área de concentração “Estudos Psicanalíticos”. Psicanalista. Professor Aposentado do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)

Downloads

Publicado

2015-01-20

Edição

Seção

Artigos