PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E PRÁTICAS DE SAÚDE: REFLEXÕES SOBRE UMA GENEALOGIA DO CUIDADO

Anita Guazzelli Bernardes

Resumo


Este artigo focaliza o modo pelo qual práticas de cuidado produzidas pelas políticas públicas de saúde, que têm como vetor o perfil epidemiológico, produzem subjetividades. Não se considera uma relação evidente entre cuidado, políticas públicas e perfil epidemiológico; pelo contrário, parte-se dessa articulação como algo que se tornou possível com a modernidade, a emergência da medicina social e, principalmente, a biopolítica. O texto apoia-se nas reflexões foucaultianas, a partir da Psicologia Social, sobre uma genealogia do cuidado de si e a aproxima das políticas públicas de saúde no Brasil a partir do Sistema Único de Saúde. O cuidado torna-se um procedimento de governo das populações, uma estratégia epidemiológica em que se constituem perfis humanos e modalidades de subjetividade.

Palavras-chave


cuidado; epidemiologia; políticas de saúde; subjetividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/barbaroi.v0i40.4574