DOBRAS DE UMA ORIGEM: CLÍNICA, CRIAÇÃO E UTOPIA

Autores

  • Ariane Santellano de Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS
  • Edson Luiz André Sousa Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v0i0.4743

Palavras-chave:

Ato Criativo. Psicanálise. Utopia.

Resumo

Este trabalho trata de uma escrita acerca do ato criativo e seus desdobramentos naquilo que toca à clínica psicanalítica. O diálogo entre arte e psicanálise se mostra potente na medida em que esses campos se aproximam do mesmo modo que se estranham, causando dúvidas e reflexões que culminam na possibilidade da criação de novas formas, novos caminhos. Partimos de uma cena clínica em que o gesto de criação encontra possibilidade analítica na medida em que esse ato é vivido no contexto da transferência, onde o olhar do outro ocupa lugar essencial. A reflexão sobre o caso clínico procura aprofundar eixos de reflexão como a formação da imagem, as interfaces entre significante e inconsciente e ato analítico e utopia.

Biografia do Autor

Ariane Santellano de Freitas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Formada em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Maria. Possui Especialização em Atendimento Clínico com Ênfase em Psicanálise pela UFRGS.

Edson Luiz André Sousa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Psicanalista. Professor do PPG Psicologia Social e Institucional e PPG Artes Visuais – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pesquisador do CNPQ.

Downloads

Publicado

2015-11-04

Edição

Seção

Artigos