Enfrentamento do assédio moral no trabalho: dimensões institucionais e aspectos subjetivos

Autores

  • Vanessa Aparecida Belisario Ribeiro Prefeitura Municipal de Nova Lima

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v51i1.6236

Palavras-chave:

, Assédio moral, gestão social e direitos humanos, mediação de conflitos.

Resumo

Este artigo analisa um caso de assédio moral julgado em tramitado, discutindo fatores subjetivos e institucionais que dificultaram ou facilitaram o seu enfrentamento. A abordagem do assédio moral no trabalho vem se intensificando em decorrência do avanço dos direitos e da preocupação com a saúde do trabalhador. A gestão social dessas relações conflituosas e assimétricas exige um olhar interdisciplinar para as articulações entre o subjetivo, o social, e o organizacional. Dicute-se a necessidade da compreensão do assédio moral na perspectiva da ética e da garantia de direitos. Utilizando-se o paradigma da complexidade de Morin, a sociologia crítica de Gaulejac e o paradigma da complexidade aplicado à Psicologia por González-Rey, analisa-se o assédio moral como um sistema complexo, com relações rígidas entre sujeitos sociais. Sugere-se intervenção com equipe interdisciplinar para criação de estratégias que possibilitem a abordagem desse sistema, buscando instaurar o diálogo e explicitar as contradições nessas relações assimétricas.

Biografia do Autor

Vanessa Aparecida Belisario Ribeiro, Prefeitura Municipal de Nova Lima

Psicóloga da Prefeitura de Nova Lima. Pós Graduada em Psicologia pela PUC/MG. Mestre em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Local pelo Centro Universitário UNA.

Downloads

Publicado

2019-01-05

Edição

Seção

Artigos