Análise das violências simbólicas nas histórias orais de transgêneros de Juiz de Fora - MG

Autores

  • Henrique Luiz Caproni Neto UFMG
  • Renata de Almeida Bicalho UFJF

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v2i52.7665

Palavras-chave:

transgêneros, violência, história oral

Resumo

Este artigo visa analisar as violências simbólicas vivenciadas por sujeitos transgêneros na sociedade e no mundo do trabalho. Para embasar as análises, utiliza-se os conceitos de poder simbólico e violência simbólica, bem como diversos trabalhos de autores nacionais que têm se dedicado ao estudo da diversidade sexual nas organizações e aos estudos de transgêneros. Os dados foram coletados através de uma pesquisa qualitativa, na qual foram realizadas entrevistas de história oral com seis indivíduos transgêneros, residentes de Juiz de Fora - MG. Assim, enfatizamos a estigmatização de que são expostos tais sujeitos tendo por consequência violências e exclusão no âmbito social e organizacional.

Biografia do Autor

Henrique Luiz Caproni Neto, UFMG

Graduado em Administração e Especialista em Gestão de Pessoas pela UFJF. Mestre em Administração pela UFMG.

Renata de Almeida Bicalho, UFJF

Doutora em Administração com ênfase em Estudos Organizacionais & Sociedade pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora Adjunta da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Downloads

Publicado

2018-07-05

Edição

Seção

Artigos