Criminalizadas e/ou vulneráveis? A trajetória no crime de mulheres aprisionadas por tráfico de drogas

Autores

  • Bruna Krause de Vargas Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Denise Falcke Universidade do Vale do Rio dos Sinos

DOI:

https://doi.org/10.17058/barbaroi.v0i0.7755

Palavras-chave:

Crime, tráfico de drogas, mulheres

Resumo

O artigo tem por objetivo conhecer a trajetória no crime percorrida por mulheres aprisionadas por tráfico de drogas. Pretende-se ainda compreender as motivações para o ingresso das mulheres no crime, a percepção delas sobre o crime de tráfico de drogas e avaliar como o envolvimento com o tráfico de drogas afetou as relações amorosas, familiares e sociais dessas mulheres, além de verificar se existe o desejo de sair do crime. Participaram do estudo três apenadas da Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba. Os resultados demonstraram que os problemas sociais e financeiros e o envolvimento familiar foram os principais motivadores para a entrada dessas mulheres no tráfico, que o tráfico era visto como uma atividade de trabalho, que o aprisionamento trouxe prejuízos para as relações, especialmente familiares, e que a saída delas do crime dependia da possibilidade de conseguir um emprego formal.

Biografia do Autor

Bruna Krause de Vargas, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Bruna Krause de Vargas é Bacharel em Psicologia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Endereço eletrônico: bruna_vargas@yahoo.com.br.

Denise Falcke, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Denise Falcke é Professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Endereço eletrônico: dfalcke@unisinos.br.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Edição

Seção

Artigos