Monitoramento da qualidade da água tratada por sistema de desfluoretação de águas subterrâneas do campus da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), cidade de Santa Cruz do Sul, RS, Brasil

Autores

  • Cristiane Pappis Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Luiza Baumann Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Gisele Steil Rodrigues Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Natália Bechi Maurer Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Ronaldo Bastos dos Santos Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Eduardo Alcayaga Lobo Universidade de Santa Cruz do Sul
  • Adilson Ben da Costa Universidade de Santa Cruz do Sul

DOI:

https://doi.org/10.17058/rjp.v7i1.9307

Palavras-chave:

Desfluoretação. Carvão Ativado de Osso. Qualidade da Água. Consumo Humano. Fluorose dental.

Resumo

O consumo da água com níveis de flúor acima do permitido pela Portaria nº 2914/2011 do Ministério da Saúde (1,5 mg L-1), é um dos principais fatores que levam à fluorose dental, principalmente em comunidades mais distantes, onde o acesso a água potável de boa qualidade é restrito. Neste contexto, este trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência do carvão ativado de osso bovino (capacidade de adsorção de 1000 mg g-1), na adsorção de íons fluoreto de águas subterrâneas que são usadas para o abastecimento público. Amostras da água de poços artesianos localizados no campus da UNISC com uma concentração de fluoretos entre 2,3 e 3,4 mg L-1 foram coletadas e analisadas semanalmente, considerando as seguintes variáveis: condutividade elétrica, pH, turbidez, e seus fluoretos. Os resultados indicaram que os cinco filtros foram altamente eficientes para remover parcialmente o flúor, tratando em média 15.398 ± 3.487 litros de água (Coeficiente de Variação, CV=22,6%), dentro do especificado pela portaria nº 2914/2011, a qual determina que a concentração de íons fluoretos na água para o consumo humano seja menor ou igual a 1,5 mg L-1. Desta forma, provamos a eficiência do carvão ativado de osso na adsorção dos íons fluoretos da água, destacando que o sistema de desfluoretação pode ser utilizado para uso coletivo, tanto em escolas como universidades.

Biografia do Autor

Luiza Baumann, Universidade de Santa Cruz do Sul

Acadêmica do curso de Química Industrial da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Gisele Steil Rodrigues, Universidade de Santa Cruz do Sul

Acadêmica do curso de Química Industrial da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Natália Bechi Maurer, Universidade de Santa Cruz do Sul

Acadêmica do curso de Química Industrial da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Ronaldo Bastos dos Santos, Universidade de Santa Cruz do Sul

Acadêmico do curso de Química Industrial da Universidade de Santa Cruz do Sul.

Eduardo Alcayaga Lobo, Universidade de Santa Cruz do Sul

Professor do Departamento de Biologia e Farmácia na Universidade de Santa Cruz do Sul.

Adilson Ben da Costa, Universidade de Santa Cruz do Sul

Professor do Departamento de Biologia e Farmácia na Universidade de Santa Cruz do Sul.

Downloads

Publicado

2017-01-05

Edição

Seção

CIÊNCIAS EXATAS, DA TERRA E ENGENHARIAS