INFLUÊNCIA DA SUPLEMENTAÇÃO GESTACIONAL DE FERRO NOS DANOS NO DNA DE CRIANÇAS DE VENÂNCIO AIRES, RS

MAIARA DE QUEIROZ FISCHER, CAROLINE DOS SANTOS, DANIEL PRÁ, LUANA BEATRIZ LIMBERGER, LIZIANE HERMES, SILVIA ISABEL RECH FRANKE

Resumo


A anemia por deficiência de ferro é a carência nutricional mais comum no mundo, afetando principalmente países em desenvolvimento, mas também países desenvolvidos. Crianças e mulheres em idade fértil, incluídas as gestantes, apresentam um risco maior de desenvolver a doença. Foi adotado pelo Ministério da Saúde em 2005 o Programa Nacional de Suplementação de Ferro (PNSF) como estratégia para o controle da anemia no Brasil. Esse programa visa à suplementação diária para gestantes a partir da 20ª semana (60 mg de ferro e 5 mg de ácido fólico). A deficiência de ferro prejudica as rotas biológicas, levando ao estresse oxidativo e possivelmente à carcinogênese. Essa deficiência também está relacionada com a capacidade reduzida de reparação de dano do DNA e aumento da propensão de dano oxidativo ao DNA mitocondrial. O objetivo desse estudo foi avaliar a influência da suplementação gestacional de ferro sobre os danos no DNA de crianças com idade entre 14 e 38 meses matriculadas nas escolas infantis do município de Venâncio Aires. A amostra foi composta por crianças cujos pais aceitaram participar do estudo e assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Informações sobre suplementação foram obtidas por meio de um questionário aplicado às mães e/ou extraídos do cartão da gestante. O nível de dano no DNA foi avaliado por meio do teste de citoma de micronúcleos em células bucais esfoliadas (MNxl). Para a análise estatística foi utilizado o programa Statistical Package for Social Sciences (SPSS) versão 18.0 (Chicago, IL) e o gráfico elaborado no GraphPad Prism versão4.0 (San Diego, CA). O teste t de Student pareado foi empregado. O nível de significânciautilizado foi de p


Apontamentos

  • Não há apontamentos.