Fazendo Ana Paz: a manipulação lúdica da linguagem poética em Lygia Bojunga

Marta Yumi Ando

Resumo


No presente artigo, analisamos a obra infanto-juvenil brasileira Fazendo Ana Paz (1991) de Lygia Bojunga, no intuito de verificar os modos como são exploradas as potencialidades lúdicas da linguagem, de maneira a instigar o leitor, em especial o leitor jovem, altamente receptivo ao elemento lúdico. Tendo isso em vista, constatamos uma diversidade de jogos linguísticos, entre os quais se destacam a ambiguidade, a construção inovadora de figuras de linguagem e, sobretudo, a bricolage.

Palavras-chave


Literatura infanto-juvenil; ludismo; Lygia Bojunga

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v36i60.1832

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo