Signo

Revista do Curso de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras - Mestrado e Doutorado, vinculados ao Departamento de Ciências, Humanidades e Educação, da Universidade de Santa Cruz do Sul. Revista Signo é A2 no Qualis CAPES 2014 (2010-2012) e B1 no Qualis CAPES 2015 (2013-2016).

A revista Signo é publicada pelo Centro de Estudos e Pesquisas Linguísticas e Literárias - CEPELL, ligado ao Curso de Letras e ao Programa de Pós-Graduação em Letras da UNISC.

Signo circula desde 1975, com periodicidade semestral. A versão impressa da revista circulou de 1975 a 2006, com o ISSN 0101-1812. A partir de 2007, a revista passou a ter apenas versão eletrônica, sob o e-ISSN 1982-2014. Em 2016, Signo passou a ser quadrimestral.

A revista divulga estudos inéditos, de caráter teórico ou aplicado, na área de Literatura e Linguística e suas interfaces. A publicação de edições temáticas fica a critério da Equipe Editorial. A Signo não cobra dos autores taxas para submissão, avaliação e publicação dos artigos, apoiando políticas de acesso livre.

Atualmente, a revista Signo está indexada nas seguintes bases:
Diretórios
1. DOAJ - www.doaj.org
2. Diadorim - diadorim.ibict.br
3. Crossref - search.crossref.org/
4. Latindex - www.latindex.org
5. ProQuest Linguistics and Language Behavior Abstracts - www.proquest.libguides.com/llba
6. Google Acadêmico - https://scholar.google.com.br/
Base de Dados
1. Sumários.Org - www.sumarios.org
Catálogos
1. Portal .periodicos. Capes - www-periodicos-capes-gov-br
2. LivRe - www.cnen.gov.br

Notícias

 

Chamada Signo: v.46, número 87: Dossiê Temático: Literatura e Tradução

 
É a partir da existência de traduções que obras estrangeiras passam a ser conhecidas por novos leitores, anteriormente impossibilitados de ter acesso a determinados conteúdos e informações. Uma tradução, nesse sentido, passa a participar da cultura de recepção em que está inserida, trazendo “alguma coisa de novo para o sistema literário e aí funciona nem sempre do mesmo modo do que na literatura original” (CARVALHAL, 2003, p. 230). Isso indica que não apenas os conhecimentos linguísticos, mas também as historicidades do par de línguas envolvidas no processo tradutório, suas culturas e cosmovisão (PAZ, 1990) precisam ser levados em conta para que o texto traduzido alcance seu novo público. Assim sendo, traduzir é uma maneira de dialogar com o outro, lançando um olhar descentralizador e positivo para com a dessemelhança. Por outro lado, de acordo com Santos (2002, p. 37), a tradução é “um trabalho emocional porque pressupõe o inconformismo perante uma carência decorrente do caráter incompleto ou deficiente de um dado conhecimento ou de uma dada prática”. Essa incompletude, que está na base da condição humana – a necessidade de comunicação, desde sempre falha – faz-nos perseguir, paradoxalmente, a perfeita compreensão por meio de palavras.  
Publicado: 2021-02-17 Mais...
 

Chamada Signo: v. 46, número 86: Programa Ler para Aprender (LPA) e seu potencial pedagógico

 
O Programa Ler para Aprender (LPA), em inglês Reading to Learn (R2L), surgiu na Austrália no final da década de 1990 com o propósito de enfrentar um dos problemas centrais para a educação na época (e por que não dizer de todas as épocas): a participação desigual dos estudantes nas atividades de aprendizagem na escola durante as práticas de leitura e escrita, provocada por vários fatores, dentre eles a origem familiar e a classe social. Rose e Martin (2012) argumentam que a desigualdade educacional persistia porque a abordagem dominante não ensinava explicitamente as habilidades necessárias para o letramento.  
Publicado: 2020-11-03 Mais...
 
Outras notícias...

v. 46, n. 85 (2021): Ensino de língua em tempo de pandemia: aprendizagens e perspectivas

Janeiro-Abril

Sumário

Apresentação

Apresentação
Cristiane Dall' Cortivo Lebler, Isabel Roboredo Seara, Leonor Werneck Dos Santos
PDF
1

Artigos

Wellington Gomes de Souza, Jaqueline de Jesus Bezerra
PDF
2-14
Ive Marian de Carvalho, Pollyanne Bicalho Ribeiro
PDF
15-25
Marilia Forgearini Nunes, Renata Sperrhake
PDF
26-34
Mônica Bezerra da Silva Fernandes, Yûki Mukai
PDF
35-47
Priscila Thaiss da Conceição de Medeiros, Lidiane de Marins Pereira
PDF
48-57
Letícia Priscila Pacheco, Lilian Cristine Hübner
PDF
58-69
Ana Laura dos Santos Marques
PDF
70-82
Juliana Reichert Assunção Tonelli, Claudia Jotto Kawachi Furlan
PDF
83-96
Vitória França Albuquerque, Riscieli Dallagnol, Leandra Ines Seganfredo Santos
PDF
97-107
Nina Rioult, Adilson Marron, Telma Pereira
PDF
108-121
Andreia Turolo da Silva, Albert Cristian Dutra da Mota, Náyla Naira Brito Nobre, Yana Valéria Bezerra de Freitas Ferreira
PDF
122-133
Gustavo Estef Lino da Silveira, Andrea da Silva Marques Ribeiro, Arthur Bruno Rodrigues Pedrosa, Mônica de Medeiros Villela, Sônia Melo de Jesus Ruiz
PDF
134-144
Elaine Maria Santos, Rodrigo Belfort Gomes
145-156
Dorotea Frank Kersch, Jaqueline Schabarum
PDF
157-169
Raquel Garcia D'Avila Menezes
PDF
170-179
Wanderleya Magna Alves, Francisco Vieira da Silva, José Cezinaldo Rocha Bessa
PDF
180-192
Márcia Cristina Neves Voges, Maria da Glória Corrêa di Fanti
PDF
193-205
Beatriz Pereira Almeida, Alinne de Morais Oliveira Cordeiro, Rildo Cosson
PDF
206-238

Relatos

Debora Ribeiro Lopes Zoletti, Maristela da Silva Pinto
PDF
239-247
Daniela Aparecida Vendramini-Zanella, Beatriz Oliveira Delboni
PDF
248-261
Karina Segaty, Cyntia Bailer
PDF
262-271
Manuela Correa Oliveira, Patrícia Cabral Araújo, Roza Luiza Caiado de Castro Accioly
PDF
272-277
Francielly Rosa Marafon, Vicente Henrique Brückmann Saldanha, Maria Alejandra Saraiva Pasca
PDF
278-283
Ivonete Soares Nink
PDF
284-291

Entrevista

Isabel Roboredo Seara
PDF
292-301