O ESTADO DE EXCEÇAO COMO PARADIGMA DE GOVERNO: A PESSOA HUMANA A PARTIR DE UMA LEITURA EM GIORGIO AGAMBEM

Ramon Perez Luiz

Resumo


A figura do Estado se apresenta de duas formas: o grande protetor da dignidade da pessoa, como seu ferrenho defensor ou, com o grande aniquilador e supressor de direitos, se tornando o mais perverso instrumento contra a pessoa. Nessa condição paradoxal que perpassa a potência do Estado é que se analisa a figura do estado de exceção como instrumento utilizado amplamente ao longo da história do Estado como meio “legítimo” de controle da vida humana. Para tanto, suscitamos em Giorgio Agamben e em seu Estado de Exceção e no seu Homo Sacer – O Poder soberano e a vida nua, conceitos e ideias que nos permitirão desenvolver com maior eloquência este estudo e apontarmos determinadas situações aonde se verifica que o Estado de Exceção é, e sempre foi, uma ameaça possível de vir a tona.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.