O CUIDADO COMO SENTIDO. AFINAL, HÁ UM SUJEITO?

Marli Silveira

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo demonstrar que existe uma ética em Heidegger, assim como em Foucault, e que a mesma pode ser auscutada pelo cuidado. No caso de Heidegger, cuidado como Sorge e, em Foucault, como “cuidado de si”. A angústia diante da morte, a finitude, como caminho capaz de indicar ao sujeito autêntico um modo de comportar-se no mundo eticamente. O mundo como morada do homem. Em meio a possibilidade, o indivíduo pode recuperar a escolha e ser autenticamente no mundo, assumindo a decisão e ouvindo a voz da sua consciência como testemunho da sua própria existência no mundo, com outros.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.