INFÂNCIA E CONSUMO: REFLEXÕES E IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DE PSICÓLOGOS

Stephani de Lima de Lima, Moisés Romanini

Resumo


Na sociedade contemporânea, pais e filhos desfrutam cada vez menos da companhia um do outro, devido à conhecida correria do dia a dia, trabalho excessivo dos pais que, por vezes, possuem dois empregos, ou estudam no horário oposto ao trabalho, além do papel que tradicionalmente foi estabelecido à mulher que, como mãe e responsável pelo lar, ainda passa bastante tempo fora de casa. Deste modo, crianças e adolescentes a cada dia estão mais expostos às tecnologias, principal maneira que a mídia utiliza para chegar até o seu objetivo, o consumidor. O conceito de infância passou por várias modificações. Antigamente, a criança não era reconhecida como um ser dotado de sentimentos e valores, porém hoje ela assume papel central nas relações familiares e na sociedade, sendo que seu processo de aprendizagem se dá principalmente pela convivência e troca de experiências. Frente a uma sociedade contemporânea caracterizada pela forte presença das tecnologias de informação, crianças e adolescentes vivenciam em seu dia a dia a interação mediada pela máquina, pelo virtual, pelo novo, com agilidade na busca do prazer imediato. A cultura do consumo mostra-se como o caminho para a felicidade, o “ter” define posição social, dita quem é o sujeito e seu estilo de vida. A cultura audiovisual está cada vez mais atraente e as propagandas direcionadas ao público infantil aumentam cada vez mais com o intuito de ditar padrões do que é melhor e mais bonito, objetivando vender seus produtos. Não somente a mídia destinada ao público infantil chama atenção das crianças, como também as propagandas destinadas aos adultos despertam a curiosidade e o interesse dos pequenos, fazendo-os pedir aos pais para que adquiram o bem de consumo. Tratando-se de um assunto importante, psicólogos devem estar preparados para lidar com esta questão, de forma a amenizar este impacto sobre a criança e sua relação familiar. Com o objetivo de conhecer as implicações do tema para a formação e atuação de psicólogos, esta pesquisa-intervenção foi realizada junto à uma turma do Curso de Psicologia da Universidade de Santa Cruz do Sul, tendo como dispositivo a exibição do Documentário “Criança, a alma do negócio”, aplicação da técnica chuva de ideias e discussão do tema mediante grupo focal. Quanto aos resultados, em relação à percepção geral sobre o documentário, abrangendo infância, consumismo e exclusão, os participantes remeteram-se muito à sua infância, muitas vezes reconhecendo-se naqueles filhos e pais que assistiram no documentário, mostrando-se muito preocupados ao darem-se conta da força da mídia e da cultura do consumo sobre todos nós e suas sérias consequências, principalmente referente à influência da televisão sobre as crianças e adolescentes.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.