SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO: SENTIDOS PRODUZIDOS POR JOVENS RESERVISTAS

Bruna Luiza Schroeder, Letícia Lorenzoni Lasta, Nívia Arlete de Souza Duarte, Patrícia Becker, Rafaela Henkes

Resumo


Este trabalho apresenta a pesquisa que foi realizada na disciplina de Pesquisa Aplicada à Psicologia II, no ano de 2016. De acordo com a lei nº 4.375 de 1964, no ano em que completam 18 anos, os jovens do sexo masculino devem se alistar para o serviço militar, que “consiste no exercício de atividades específicas desempenhadas nas Forças Armadas - Exército, Marinha e Aeronáutica” (BRASIL, 1964, s.p.). Após o alistamento, os jovens passam pelo processo de recrutamento, sendo que os selecionados deverão prestar o Serviço Militar Obrigatório durante o período de 10 a 12 meses. A hierarquia e a disciplina são os pilares institucionais das Forças Armadas: a hierarquia determina aquele que estabelece as ordens e quem vai obedecê-las, enquanto a disciplina garante que essas ordens sejam cumpridas. A respeito da experiência dos jovens soldados que prestam Serviço Militar Obrigatório, Silva (2012) aponta que o Exército é um contexto que traz aspectos específicos, que possibilitam ao jovem explorar, experimentar e desenvolver competências que serão úteis para sua vida, sendo um contexto em que, por ser estruturado rigidamente, exige que o jovem monitore as próprias ações. Desse modo, o objetivo deste trabalho foi compreender como o Serviço Militar Obrigatório é visto pelos jovens reservistas. A pesquisa configura-se como qualitativa e transversal, buscando uma amostra intencional de seis jovens reservistas que cumpriram o Serviço Militar Obrigatório no ano de 2014 ou 2015. Para a produção dos dados, foram utilizadas entrevistas individuais semiestruturadas, realizadas em data e local combinados com os sujeitos pesquisados, conforme a sua disponibilidade, gravadas em áudio e transcritas. Antes da realização da entrevista, cada participante recebeu o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Para a análise de dados, foi utilizada a abordagem construcionista, que se ocupa em explicitar como as pessoas compreendem o mundo e a si próprias (GERGEN apud SPINK; FREZZA, 2000). Para guiar a análise, foram elencadas sete categorias de investigação: 1. Expectativas no alistamento; 2. Opinião sobre o Serviço Militar Obrigatório; 3. Processo de recrutamento e seleção; 4. Hierarquia e disciplina; 5. Atividades praticadas nesse período; 6. Relações interpessoais, subdivididas em: a. Colegas e b. Superiores e 7. Relações interpessoais fora do Exército. Desse modo, acreditamos que a relevância desta pesquisa está em tratar de um tema importante, uma vez que perpassa a vida de todos os jovens brasileiros do sexo masculino, porém pouco discutido na academia. Portanto, a expectativa deste trabalho é de poder compreender, através das práticas discursivas dos próprios jovens reservistas, quais os sentidos produzidos por essa experiência. Assim, esperamos promover reflexões sobre as formas de conceber o Serviço Militar Obrigatório, não na tentativa de eliminar o que já está posto, mas pensando as diferentes possibilidades de dar sentido à experiência no Exército.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.