A RECONSTRUÇÃO DO DISCURSO COMO CAMINHO METODOLÓGICO PARA A INTERDISCIPLINARIDADE NO CONTEXTO DA SAÚDE

Gabriel Rovadoschi Barros, André Morgental Weber, Félix Miguel Nascimento Guazina

Resumo


A discussão sobre a construção de um conhecimento unificado sobre determinado objeto convém como um problema de construção desde os princípios do pensamento científico. Porém, a interdisciplinaridade se colocou como uma problemática com maior enfoque, depois da separação das ciências em especialidades. Com isso, colocar em pauta a interdisciplinaridade a partir da construção histórica se faz necessária nos dias de hoje para condizer com a utopia que se busca em termos de construção de saber. Através da revisão bibliográfica, a saúde é colocada como objeto de enfoque da discussão interdisciplinar, articulando princípios teóricos do pensamento psicanalítico para sustentar o discurso científico. A contribuição pós-estruturalista da metodologia cartográfica se demonstra interessante para a desconstrução e reconstrução do objeto de enfoque para que com a interdisciplinaridade se compreenda os atravessamentos históricos que resultam em concepções interdisciplinares sobre o conceito e entendimento de saúde. Enquanto prática contemporânea, o Projeto Terapêutico Singular é apresentado como instrumento possível para proporcionar a consolidação da interdisciplinaridade enquanto teoria e prática, contextualizado através das políticas públicas nacionais de humanização, onde se busca maior integralidade no entendimento do sujeito. Essa construção do discurso interdisciplinar vai ao encontro da transversalidade proposta pela própria política, como uma tentativa de desconstruir a ideia multidisciplinar quando se trata de interdisciplinaridade, caracterizando-o como um discurso não apenas multi, mas trans-inter-multi-intra-profissional, entre outras definições que se relacionam no contexto prático e teórico. Através do diálogo entre psicanálise e saúde coletiva também é possível perceber a construção do saber enquanto saúde a partir práticas interdisciplinares em saúde, como clínica ampliada e equipe de referência. O próprio questionamento sobre o que significa “trabalho em equipe” é válido para traçarmos o a construção do caminho metodológico para essa interdisciplinaridade proposta. Dessa forma, não se pretende buscar a resolução para a problemática da interdisciplinaridade, mas sim demonstrar caminhos plausíveis para escapar da hierarquia de saberes no campo da saúde, possibilitando o entendimento do sujeito com devida comunicação entre saberes, viabilizando o fortalecimento de diretrizes básicas do cuidado em saúde, como a integralidade e transversalidade. A contribuição do pensamento psicanalítico contemporâneo para a reconstrução desse discurso metodológico é um ponto interessante a ser levado em consideração para pensar em interdisciplinaridade enquanto construção de saber, e não apenas comunicação entre saberes, mas da produção singular desse discurso. Com isso, se é possível perceber alguns caminhos possíveis para tal reconstrução.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.