ANÁLISE INSTITUCIONAL: COMO PROPOSTA DE INTERVENÇÃO EM UM CORPO DE BOMBEIROS DE UM MUNICÍPIO DO INTERIOR DO RIO GRANDE DO SUL

Eduarda Corrêa Lasta, Aline Inêz Tilvitz, Karine Vanessa Perez

Resumo


Trabalhar é engajar sua subjetividade num mundo hierarquizado, ordenado e coercitivo, perpassado pela luta contra a dominação. (DEJOURS, 2004). Considerando que o termo “intervir” significa torna-se mediador, ser ou estar presente, partimos do pressuposto de que nossa proposta de intervenção institucional buscou mais do que investigar o funcionamento, as potencialidades e as inabilidades da instituição. Sobretudo, esta experiência prática buscou ampliar nosso olhar como futuras analistas, sendo guiadas por desafios e inquietações. Tendo em vista, as interlocuções realizadas na disciplina de Estágio Básico II – Processos Institucionais, o presente trabalho discorre acerca da análise institucional realizada em um corpo de bombeiros de um município no interior do Rio Grande do Sul. Através das visitas foram percebidas as demandas do local, bem como suas potencialidades e fragilidades. Tais percepções foram analisadas com base na Psicologia Institucional e nos demais movimentos institucionalistas. Aos poucos percebemos que as falas de modo geral se “repetiam”, como que girassem em torno dos mesmos assuntos. Dessa maneira, fomos elencando durante nosso processo de análise indicadores que seriam trabalhados e possíveis sugestões quanto a melhorias. Como principais resultados apontamos, que o grupo se refere a um grupo sujeitado, ou seja, está submisso a diversas normas de funcionamento e organização, em contrapartida demonstra forte sentimento de identificação a profissão. Este fato demonstra o estabelecimento de relações harmoniosas, pois apesar de existir uma forte hierarquização de cargos e funções, percebe-se também que o diálogo entre as partes é algo permitido, em especial entre os pares. Dentre as demandas umas das mais verificadas foi a carência da instituição acerca de um profissional de psicologia que viesse a atuar junto aos trabalhadores. Outra questão bastante presente no discurso do efetivo foi o temor da separação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar. Sendo assim, considera-se que a análise institucional permitiu não somente o “despertar” de futuras analistas, mas também, se concretizou através de interlocuções que efetivamente poderão beneficiar a instituição analisada. Portanto, nosso “maior feito” se deve a percepção do interesse da instituição na implementação de um estágio de Psicologia, a fim de trabalhar a dinâmica psíquica e realizar interlocuções institucionais.

Palavras-chave


Análise Institucional; Trabalho; Intervenção; Bombeiros Militares;Instituições.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.