UMA REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE PSICANÁLISE E PESQUISA NA UNIVERSIDADE

Alexandra Garcia Grigorieff, Davisson Gonçalves Giaretta, Elisa Cainelli Andreola, Mariana Machado Felin, Mônica Medeiros Kother Macedo

Resumo


Constata-se, atualmente, no contexto da Pós-graduação, uma exacerbação quantitativista, que tende a considerar apenas o que pode ser mensurado. Percebe-se, nesse cenário, o constante desafio na condução e na legitimação de pesquisas “não-cartesianas” na universidade. Nesse contexto, está inserida a Psicanálise, considerada uma disciplina pertencente às Ciências Humanas, a partir das quais não se busca encontrar uma explicação exata e estatística sobre um fenômeno, mas sim a compreensão e a interpretação da complexidade presente no mesmo. Tendo em vista o atual cenário acadêmico de pesquisa, problematizam-se as efetivas práticas e publicações decorrentes da pesquisa em Psicanálise. Dessa forma, o presente estudo buscou acessar artigos científicos resultantes de pesquisa em Psicanálise e identificar os delineamentos metodológicos empregados nas pesquisas empíricas. Trata-se de uma revisão sistemática sobre relatos empíricos, cujo referencial teórico utilizado para analisar os dados foi o psicanalítico. Para tanto, dois juízes independentes conduziram essa revisão nas bases de dados Scopus, Lilacs e SciELO, utilizando os descritores “psychoanalysis AND research”. Os critérios de inclusão foram: relatos empíricos compreendidos entre os anos de 2013 e 2017, publicados em português, inglês ou espanhol. Na seleção inicial foram identificados 135 artigos em potencial, sendo Scopus (75), Lilacs (7) e SciELO (53). Foram excluídos 31 artigos por repetição. Realizou-se a leitura dos resumos de 104 artigos, em que 96 foram excluídos: por não utilizarem o referencial psicanalítico na discussão dos dados (13); por se tratar de artigos teóricos e revisões de literatura (69), artigos metodológicos (7) e estudos de caso (7). O banco de dados final contou com 8 relatos empíricos que consistem em estudos qualitativos que recorrem à Psicanálise como teoria de discussão dos achados. Foi realizada a leitura integral desses artigos, os quais foram analisados e discutidos segundo os objetivos dessa revisão. Constata-se, portanto, um relevante número de estudos que tem a Psicanálise como fundamento; entretanto, observam-se escassas publicações sobre pesquisas empíricas em Psicanálise. Há claramente uma necessidade de atentar ao caminho a ser percorrido na Universidade no que diz respeito a trazer, ao universo das publicações cientificas, processos investigativos empíricos sustentados nas contribuições da Psicanálise. Porém, tal percorrido não pode ser realizado sem perder a ingenuidade quanto à sedução que a ciência como ideal de verdade representa nesse contexto.

Palavras-chave


Psicanálise; Pesquisa;Revisão Sistemática; Ciência.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.