PIBID/UNISC: ANÁLISE DOS INDICADORES DE RISCO À SAÚDE EM ESCOLARES DA REDE ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE SANTA CRUZ DO SUL - RS

Alana Catarina Wendel, Guilherme Eduardo Alexsander Gonçalves, Mathias Luiz Dupont, Miria Suzana Burgos

Resumo


RESUMOIntrodução: No momento atual percebe-se em crianças e adolescentes baixos níveis de aptidão física, o que demonstra a importância de verificar as condições de saúde destes escolares. Além disso, o desenvolvimento de novas tecnologias, em consequência o sedentarismo, e a ingestão de alimentos inadequados contribuem para que os mesmos apresentem índices de peso acima dos valores indicados para a saúde. Objetivo: Verificar os indicadores de risco à saúde em crianças e adolescentes de uma escola estadual de Santa Cruz do Sul – RS. Método: Foi realizado um estudo transversal com 119 sujeitos, sendo 60 do sexo feminino, e 59 do sexo masculino, pertencentes do 1º ano ao 7º ano do ensino fundamental, na faixa etária de 6 a 17 anos de uma escola estadual. Durante as atividades desenvolvidas por bolsistas do PIBID/Educação Física-UNISC. Foram aplicados os seguintes testes de aptidão física relacionada à saúde: Resistência abdominal, aptidão cardiorrespiratória (corrida/caminhada dos 6 minutos), de acordo com PROESP-BR (2016) e o teste de sentar e alcançar (flexibilidade) classificado de acordo com o manual do PROESP-BR (2009). O teste de Índice de Massa Corporal (IMC), verificado através da mensuração do peso e estatura e classificado por meio das curvas de percentis da Organização Mundial da Saúde (WHO, 2007). Os dados foram analisados no programa estatístico do SPSS v. 20.0, através da análise descritiva sendo realizados o teste t de amostras independentes e teste de qui-quadrado, sendo considerados os resultados significativos de p<0,05 e os dados expressos em percentuais, média e desvio-padrão. Resultados: Constatou-se elevada prevalência de sobrepeso nas meninas de 18,3% e obesidade nos meninos de 27,1%. Em relação a flexibilidade, 66,7 % do sexo feminino apresentou maior prevalência na classificação desejável, comparado ao sexo masculino, em queapenas 49,2% dos indivíduos demonstraram bons níveis. Já no teste de resistência abdominal,observou-se que ambos os sexos encontram-se na zona saudável, sendo 61,7% do sexo femininoe 57,6% do sexo masculino. O teste de Aptidão Cardiorrespiratória (corrida/caminhada em 6minutos) mostrou significância entre os sexos (p=0,001), constatando através da média,melhores resultados nos meninos 815,22 em comparação as meninas 744,93. Conclusão:Conclui-se que os indicadores de risco à saúde nos escolares avaliados mostraram-se, de formageral, abaixo da classificação desejada, apresentando altos índices de sobrepeso e obesidadeentre os avaliados, sendo que apenas o teste de Aptidão Cardiorrespiratória mostrousignificância. Desta forma, ressalta-se a importância do incentivo a prática de atividade físicaem escolares do município de Santa Cruz do Sul.Palavras Chaves: Saúde na escola, Crianças, Adolescentes

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.