EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: APONTAMENTOS CRÍTICOS SOBRE SUGESTÕES DE AULAS SOBRE LEITURA NO PORTAL DO PROFESSOR

Luana Teixeira Porto

Resumo


Este estudo aborda adoção de recursos tecnológicos na elaboração e execução de atividades formativas sobre leitura na Educação Básica, focalizando a prática leitora no contexto escolar e a necessidade de avaliar de forma crítica proposições para atividades de interpretação textual oferecidas ao público docente no ambiente digital como meio para desenvolvimento de habilidades de leitura de estudantes. Parte-se da concepção de que, além de livros didáticos, muitos docentes preparam suas aulas com base em recursos pedagógicos oferecidos no ambiente virtual de forma livre e gratuita. Na internet, há vários sítios especializados em apresentar propostas de aulas sobre variados temas e o Ministério da Educação alimenta um banco de dados virtual com sugestões de aula no Portal do Professor. Considerando isso e a tarefa atribuída à escola e a professores da área de linguagens para promover uma aprendizagem de leitura eficaz e voltata para a significação de textos, tal como preceituam os PCNs, este trabalho analisa relações entre educação e tecnologia através da análise de práticas de leitura propostas por professores de diferentes regiões do país cadastradas no Portal do Professor, com o objetivo de apontar em que medida tais práticas de leitura podem subsidiar a formação de um leitor competente, ajudando-o a compreender os textos e os diálogos entre diferentes construções discursivas e a inter-relacionar textos e linguagens. Para tanto, o estudo tem como corpus de investigação proposições de leitura disponíveis no referido Portal e direcionadas ao Ensino Médio para a disciplina de língua portuguesa/literatura disponíveis no Portal. O olhar crítico sobre as sugestões de aula parte da reflexão sobre a adoção de recursos tecnológicos nos processos educativos e sobre conceitos de leitura e métodos de desenvolvimento de práticas leitoras no Ensino Médio. Dentre os resultados até então obtidos no estudo, ressaltam-se que a disponibilização de proposições de aula sobre leitura no meio digital não possibilitam efetivo uso da tecnologia como meio de aprendizagem em leitura e que grande parte das propostas para interpretar e analisar textos assinalam uma perspectiva de uso do texto como pretexto para ensino de língua, contrariando as principais recomendações de teóricos que tratam da leitura em sala de aula e da formação de leitores como sujeitos críticos e capazes de interagir com textos e inter-relacionar linguagens.


Texto completo: Resumo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.