RELAÇÃO ENTRE CONSCIÊNCIA SINTÁTICA, HIPÓTESE DE ESCRITA E LEITURA EM CRIANÇAS ANTES DO INGRESSO NO SISTEMA DE ALFABETIZAÇÃO

Brendom Lussani da Cunha

Resumo


A presente pesquisa busca compreender a relação estabelecida entra a consciência sintática, hipótese de escrita e leitura em alunos de uma pré-escola da rede municipal de Educação Infantil, do município de Lajeado/RS. Tem como finalidade compreender se alunos da pré-escola já possuem habilidade de domínio de língua (através da consciência sintática) e de que forma está interfere na aquisição da leitura e escrita. Estudos na área (CAPOVILLA e CAPOVILLA, 2006) já demonstram que indivíduos com melhor desemprenho sintático possuem mais facilidade na aquisição da escrita e leitura, se comparado a outros que ainda não possuem uma consciência sintática aguçada. Para a obtenção dos dados, investigaram-se individualmente dez educandos da pré-escola, com idades entre cinco e seis anos. Os alunos foram submetidos a teste de leitura, escrita e correções morfêmicas e de ordem. Após os testes, foi possível perceber que os alunos da pré-escola já possuem consciência das letras, porém no que tange à leitura, limitam-se aos seus próprios nomes. Em relação à escrita, a maioria dos sujeitos investigados encontra-se no estágio pré-silábico. Nos testes de consciência sintática nota-se, através das respostas emitidas pelos investigados, que todos possuem e está se mostra um facilitador no aprendizado da leitura e escrita, principalmente, nos achados dos sujeitos silábicos, os quais possuem uma intimidade maior com a língua oral. Ao final deste artigo, questiona-se a conquista da leitura e escrita do nome próprio pelos alunos da Educação Infantil, se o mesmo é um aprendizado ou apenas uma memorização e reprodução de sequências (pré) determinadas.


Texto completo: Trabalho completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.