GUERRA FRIA: O PARADIGMA INTERVENCIONISTA E A POLÍTICA DE ESPIONAGEM EM UM CONCERTO BIPOLAR

Josiane de Lima

Resumo


O presente artigo tem como objeto de estudo o período da Guerra Fria, no qual, busca-se analisar o paradigma intervencionista que ambas as superpotências assumiram a fim de garantir sua zona de influência, em um concerto bipolar. A pesquisa se dá através de um panorama histórico, de uma análise comparativa entre distintos autores da ciência política e, por fim, de um estudo de caso envolvendo o modelo intervencionista e a política de espionagem norte-americana, no contexto da Guerra Fria.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.