Memória e conflitos étnico-raciais a partir de uma trajetória de abandono no século XX

Denize Terezinha Leal Freitas, Jonathan Fachini da Silva

Resumo


O presente trabalho aborda a história de um abandono infantil resultado de um conflito étnico ocorrido na década de 50 do século XX. Trata-se da história de vida de uma mulher que descobriu depois de adulta sua verdadeira origem familiar e étnica. Nossa personagem é filha biológica de uma mãe de abastada família de imigrantes alemães e de um pai curandeiro e descendente de africanos, todos do pequeno vilarejo de Alto Sampaio, no Rio Grande do Sul. Desde a tenra idade e por muitos anos, viveu com uma família adotiva que a resgatou após o nascimento, no munícipio de Lajeado, no dia 04 de novembro de 1952. Através da metodologia da História Oral a partir de entrevistas e o cruzamento de fontes do período, do aporte teórico e discussões acerca da racialidade e condição feminina, pretendemos resgatar e compreender os caminhos e descaminhos que levaram a omissão e ao mesmo tempo sobrevivência destas memórias veladas por mais de sessenta anos.

Palavras-chave


abandono; memória; conflitos étnicos;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/agora.v20i1.11646

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo