OS RISCOS SOBRE O AUMENTO DOS CASOS DE SUICÍDIO NO CONTEXTO DE PANDEMIA: Perspectivas para a prevenção no estado do Rio Grande do Sul - Brasil

Carlos Stavizki Junior

Resumo


Neste artigo analisa-se a questão do suicídio no Brasil e no estado do Rio Grande do Sul, destacando quais os efeitos que a pandemia de SARS-CoV-2 traz para a discussão e prevenção desta problemática no contexto atual. Estima-se que o aumento do desemprego e a precarização das relações de trabalho, somados a políticas econômicas neoliberais, influenciem no aumento de casos de suicídio no país. A partir da revisão bibliográfica sobre a relação de dados socioeconômicos, culturais e regionais nos índices de suicídio, apresenta-se considerações e perspectivas capazes de auxiliar na prevenção dos casos. Conclui-se que as políticas de redistribuição de renda, aliadas a ampliação e fortalecimento das políticas de saúde mental, tendem a prevenir o aumento de mortes autoprovocadas no território.

Palavras-chave


Suicídio; Pandemia; Crise socioeconômica.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, S. S. Suicídio no RN e sua relação com determinantes espaciais, urbanização, desenvolvimento e outros fatores socioeconômicos. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 13, n. 2, p. 288-308, 16 out. 2019.

ARAÚJO, Rafael de Sousa. Análise econométrico-espacial do suicídio no Brasil. 2020. 62f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2020

BANDO, D. H.; BARROZO, L. V. Suicídio na cidade de São Paulo – Uma análise sob a perspectiva da geografia da saúde. São Paulo/SP; Ed. Humanitas; 2010.

BERTOLOTE, J. M. Suicide prevention: at what level does it work?. World Psychiatry; v.3, n.3; oct. 2004; p.147–151.

BERTOLOTE, J. M.; FLEISCHMANN, A. Suicide and psychiatric diagnosis: A worldwide perspective. World Psychiatry, v.1, 2002, p. 181-185.

BOTEGA, Neury José. Comportamento suicida: epidemiologia. Psicol. USP, São Paulo, v. 25, n. 3, 2014, p. 231-236.

BOTEGA, Neury José; SILVEIRA, Isabel Ugarte; MAURO, Marisa Lúcia Fabrício. Telefonemas na crise: percursos e desafios na prevenção do suicídio. Rio de Janeiro: ABP Editora, 2010.

CHEN, J.; CHOI, Y.; SAWADA, Y. How is suicide different in Japan? Japão, 2007. (Working Paper, CIRJE-F-526).

CUTLER, D.M.; GLAESER, E. L.; NORBERG, K. Explaning the rise in youth suicide. In: GRUBER, J. (Org.) Risky behavior among youths: an economic analysis. Chicago: University of Chicago Press, Series: (NBER-C) National Bureau of Economic Research Conference Report, 2001.

DÍAZ, E.; BARRÍA, R. Suicidio y Producto Interno Bruto (PIB) em Chile: hacia un modelo predictivo. Revista Latinoamericana de Pisicologia, v. 2, p. 343-359, 2006.

DURKHEIM, Émile. O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FRAGA W.S.; MASSUQUETTI A.; GODOY M.R. Determinantes socioeconômicos do suicídio no Brasil e no Rio Grande do Sul. In: Anais do 19° Encontro de Economia da Região Sul; 2016; Florianópolis. Florianópolis; 2016.

GODINHO, Isabel. Pobreza e desigualdade social no Brasil: um desafio para as políticas sociais. Circuito de debates acadêmicos. Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas, 2011.

GONÇALVES, L. R. C.; GONÇALVES, E.; OLIVEIRA JÚNIOR, L. B. Determinantes espaciais e socioeconômicos do suicídio no Brasil: uma abordagem regional. Nova Economia, v. 21, n. 2, p. 281-316, 2011.

HUSTAIN, Arif; SANDSTROM, Susanna; GRODER, Joachim; et al. COVID-19: Potential impact on the world’s poorest people. [s.l.]: World Food Programme, 2020.

JHU – John Hopkins University. Center for Systems Science and Engineering. “COVID-19 Dashboard”. John Hopkins University Website [30/06/2020]. Disponível em: ; Acesso em: 30/06/2020.

LOUREIRO, P. R. A.; MENDONÇA, M. J. C.; SACHSIDA, A. Os determinantes econômicos do suicídio: um estudo para o Brasil. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 2010. (Texto para Discussão, n. 1487).

LOVISI, Giovanni Marcos et al. Análise epidemiológica do suicídio no Brasil entre 1980 e 2006. Rev. Bras. Psiquiatr., São Paulo, v. 31, supl. 2, p. 86-93; 2009.

MACHADO, Daiane Borges; SANTOS, Darci Neves dos. Suicídio no Brasil, de 2000 a 2012. J. bras. psiquiatr., Rio de Janeiro, v. 64, n. 1, p. 45-54, Mar. 2015

MACHADO, M. F.; LEITE, C.; BANDO, D. Políticas Públicas de Prevenção do Suicídio no Brasil: uma revisão sistemática. Revista Gestão & Políticas Públicas, v. 4, n. 2, 2014, p. 334-356.

MENEGHEL, Stela Nazareth et al. Epidemiological aspects of suicide in Rio Grande do Sul, Brazil. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 38, n. 6, p. 804-810, Dec. 2004.

MENEGHEL, Stela Nazareth; MOURA, Rosylaine. Suicídio, cultura e trabalho em município de colonização alemã no sul do Brasil. Botucatu, v. 22, n. 67, p. 1135-1146, Dec. 2018.

MINAYO, M. C. S. Suicídio no Brasil: mortalidade, tentativas, ideação e prevenção. In: NJAINE, K., ASSIS, S. G., and CONSTANTINO, P. Impactos da Violência na Saúde [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2007, pp. 311-331.

NEIRA, Hernan. Suicidio y misiones suicidas: revisitando a Durkheim. Cinta moebio, Santiago, n. 62, p. 140-154; 2018.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Prevenção do suicídio: um manual para profissionais da saúde em atenção primária; Genebra: OMS, 2000.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Suicídio [Internet]. Geneva: OMS, 2018. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2020.

PALACIO, Andrés Felipe. LA COMPRENSIÓN CLÁSICA DEL SUICIDIO. DE ÉMILE DURKHEIM A NUESTROS DÍAS. Affectio Societatis: Antioquia/COL. Nº 12/ junio/ 2010

PINTO, Lélia Lessa Teixeira et al. Tendência de mortalidade por lesões autoprovocadas intencionalmente no Brasil no período de 2004 a 2014. J. bras. psiquiatr., Rio de Janeiro, v. 66, n. 4, p. 203-210, Oct. 2017

PIRES, Dario Xavier; CALDAS, Eloísa Dutra; RECENA, Maria Celina Piazza. Uso de agrotóxicos e suicídios no Estado do Mato Grosso do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública: Rio de Janeiro; v. 21, n.2; pp. 598-605; 2005.

RAZZOUK, D. Por que o Brasil deveria priorizar o tratamento da depressão na alocação dos recursos da Saúde? Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 25, n.4,845-8. 2016.

RIO GRANDE DO SUL. Boletim de Vigilância do Suicídio e Tentativa de Suicídio. Centro Estadual de Vigilância em Saúde. Bol. Vig. Suicídio. v. 1. n. 1. set. 2018.

SCHNITMAN, G. et al. Taxa de mortalidade por suicídio e indicadores socioeconômicos nas Capitais brasileiras. Rev. baiana saúde pública, v. 34, n. 1, 2010. suicídio: um estudo para os municípios do Brasil e do Rio Grande do Sul. Revista Econômica, v. 18, n. 2, p. 1-37, 2016.

WERLANG, B.G.; BOTEGA, N.J. Comportamento suicida. Porto Alegre: Artmed; 2004

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Preventing suicide: a global imperative. Luxembourg: World Health Organization, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.17058/agora.v22i2.15422

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo