Compreensões sobre ação educativa no campo: as oficinas terapêuticas e a territorialização do cuidado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17058/agora.v23i2.16479

Resumo

O artigo traz algumas compreensões sobre os desafios da ação educativa no campo, através da análise das oficinas terapêuticas e a territorialização do cuidado. O percurso metodológico se deu no cotidiano do serviço, no qual participava-se das reuniões de equipe e acompanhava-se a produção do cuidado dentro e fora do grupo. No processo de educação permanente junto à equipe, foi possível produzir visibilidade a três movimentos: a invisibilidade do território vivo na produção das redes de cuidado; a necessidade do matriciamento como articulador das ações e da atenção básica; e os impasses para a desinstitucionalização da vida. No entanto, apostamos que, no movimento de abrir-se ao mundo vivo do campo, a saúde mental consiga produzir cuidados para além do sofrimento psíquico, se ocupando com a produção de vida das pessoas.

Biografia do Autor

Erica Karnopp, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, RS

Doutora em Geografia (Universität Tübingen-Alemanha). Professora da Universidade Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul – RS, Brasil. E-mail:erica@unisc.br

Maria da Graça Lucas Vieira

Graduada em Pedagogia e Administração. Mestre em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Santa Cruz do Sul/UNISC

Downloads

Publicado

2021-07-27

Edição

Seção

Tema Livre