A educação patrimonial no contexto regional: reflexões sobre o patrimônio na perspectiva contemporânea

Daniel Luciano Gevehr, Gabriela Dilly

Resumo


O artigo problematiza as diferentes abordagens acerca do conceito de educação patrimonial, apresentando-as a partir de sua trajetória no tempo, dentro do espaço brasileiro. São discutidas as definições e práticas mais tradicionais, que introduziram as primeiras propostas de educação patrimonial no Brasil, junto ao Museu Imperial do Rio de Janeiro. Ampliando este debate, são contempladas formas diferentes de interpretação dessas práticas, adaptações às realidades de espaços diferentes nos quais aconteceram, mais especificamente referindo-se a educação patrimonial denominada transformadora, cujos principais estudos foram feitos na cidade de Londrina, no Paraná. Paralelamente a esta abordagem conceitual aponta-se o crescente aumento da perspectiva da função crítica da educação patrimonial, acompanhando as discussões recentes sobre identidade, pertencimento, memória, patrimônio cultural e educação. Também se apresenta um panorama das possibilidades e alcances dos trabalhos desenvolvidos - dentro do campo da educação patrimonial - nos espaços educativos formais (escolas, instituições de ensino em geral). O estudo se propõe a realizar uma revisão conceitual crítica sobre o processo que constituí a educação patrimonial, contribuindo para a ampliação e difusão a respeito da temática no contexto do desenvolvimento regional.

Palavras-chave


Educação patrimonial, patrimônio cultural, memória e identidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/agora.v17i2.6674

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo