Ética do consumo, consumo consciente e felicidade

Antônio Carlos Efing, Alexandre Araujo Cavalcante Soares

Resumo


O presente artigo busca discutir a necessidade de uma ética para o consumo. A revisão das correntes epistemológicas do tema, utilizado do método bibliográfico, aponta duas perspectivas para a explicação do ato de consumir em nossa sociedade, a saber: a perspectiva crítica e a perspectiva liberal. A ideia que permeia o presente estudo seria a possibilidade de construção de uma ética do consumo que permitisse a conciliação destas duas correntes em uma perspectiva única que atendesse aos anseios de uma sociedade justa e harmônica. Dessa forma, argumenta-se que o conceito de consumidor consciente, entendido como a soma dos conceitos de consumidor e cidadão é capaz de permitir uma nova forma de consumo em sociedade, que respeite as decisões individuais e permita a proteção em face dos efeitos danosos do consumo para o meio ambiente e ao próprio indivíduo. Adicionalmente, é defendida a ideia de que o consumo consciente pode resgatar a felicidade almejada no ato de consumir, ao privilegiar o usufruto ao possuir, ao valorizar os bens públicos e aos bens que não estão disponíveis no mercado.

Palavras-chave


Consumismo. Consumo Consciente. Desenvolvimento Socioambiental. Ética. Felicidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rdunisc.v1i48.6657

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo