Uso de microrganismos de efluente industrial no controle biológico de vetores

Autores

  • Rafaela Alberton Favato Universidade Federal da Integração Latino-America (UNILA).
  • Nathalia Luana Cecchet Universidade Federal da Integração Latino-America (UNILA).
  • Cléber Cardeal Centro Universitãrio Dinâmica das Cataratas (UDC)
  • Jean Avemir Rios Centro de Controle de Zoonoses (CCZ)
  • Júlia Ronzella Ottoni Centro Universitãrio Dinâmica das Cataratas (UDC)
  • Michel Rodrigo Zambrano Passarini Universidade Federal da Integração Latino-America (UNILA) http://orcid.org/0000-0002-8614-1896
  • André de Souza Leandro Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) http://orcid.org/0000-0001-9983-9559
  • Sandro Roberto Galvão Centro de Controle de Zoonoses http://orcid.org/0000-0001-6482-5659

DOI:

https://doi.org/10.17058/jeic.v10i2.14229

Palavras-chave:

Biocontrole, Efluentes industriais, Aedes aegypti, Dermacentor nitens

Resumo

Justificativa e Objetivos: a utilização de microrganismos como controle biológico de vetores sanitários pode ser considerada uma prática menos agressiva ao ambiente, em comparação com os produtos químicos utilizados. O presente estudo avaliou a eficiência de suspensões celulares de fungos e bactérias isolados de efluentes industriais têxteis no controle sanitário dos vetores naturais Aedes aegypti e Dermacentor nitens como alternativa sustentável de controle biológico. Métodos: foram avaliadas sete linhagens de fungos e seis de bactérias. Os isolados foram cultivados em caldo nutriente e caldo de batata, para bactérias e fungos, respectivamente. Alíquotas de 2 mL de cada suspensão microbiana foram adicionadas diretamente nas larvas dos mosquitos e nos carrapatos adultos. Foram analisadas alterações de movimentação e paralisação dos vetores em diferentes tempos de exposição entre zero e 20 minutos e três e 24 horas. Resultados: duas bactérias e um fungo promoveram uma desaceleração dos movimentos e/ou um aumento da movimentação dos ectoparasitas logo após a administração. Dois isolados bacterianos promoveram a paralisação dos movimentos de uma larva do mosquito Aedes aegypti em seu primeiro estágio de desenvolvimento, enquanto que um fungo provocou aumento da movimentação das larvas em seu estágio de desenvolvimento mais avançado. Conclusão: os microrganismos mostraram potencial uso no controle de vetores sanitários. Testes subsequentes de atividade dos possíveis metabólitos secundários produzidos e das formas de administração das culturas microbianas serão executados. Os resultados encontrados encorajam futuros estudos de otimização e caracterização dos extratos celulares, os quais poderão ser utilizados como ferramenta sustentável no controle biológico.

Biografia do Autor

Rafaela Alberton Favato, Universidade Federal da Integração Latino-America (UNILA).

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/7425537506519896

Nathalia Luana Cecchet, Universidade Federal da Integração Latino-America (UNILA).

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/ 3202897880888050

Cléber Cardeal, Centro Universitãrio Dinâmica das Cataratas (UDC)

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/9849002993372489

Jean Avemir Rios, Centro de Controle de Zoonoses (CCZ)

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/ 1976449473282321

Júlia Ronzella Ottoni, Centro Universitãrio Dinâmica das Cataratas (UDC)

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/ 9607349169110008

Michel Rodrigo Zambrano Passarini, Universidade Federal da Integração Latino-America (UNILA)

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/ 5718066459015474

André de Souza Leandro, Centro de Controle de Zoonoses (CCZ)

Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6611135292296298

Publicado

2020-04-05

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL