COMO UMA EMPIRISTA CEGA: PESQUISA-EXPERIÊNCIA

Susana Beatriz Fernandes

Resumo


Este artigo analisa e problematiza o processo de produção de uma pesquisa realizada com um grupo de crianças escolarizadas a partir da ideia de experiência proposta por Michel Foucault. Aponta as possiblidades e as dificuldades encontradas neste processo contrapondo a perspectiva de uma pesquisa-experiência com a de uma pesquisa-verdade. Discorre sobre os caminhos investigativos percorridos, suas contingências e singularidades, dando ênfase ao processo de produção do corpus de pesquisa e às análises.

Palavras-chave: experiência, pesquisa-experiência, pesquisa com crianças, Foucault.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v19i2.2364



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo