EDUCAÇÃO DO CAMPO: HISTÓRIA, PRÁTICAS E DESAFIOS NO ÂMBITO DAS POLÍTICAS DE FORMAÇÃO DE EDUCADORES – REFLEXÕES SOBRE O PRONERA E O PROCAMPO

Autores

  • Monica C Molina
  • Isabel Antunes-Rocha

DOI:

https://doi.org/10.17058/rea.v22i2.5252

Palavras-chave:

Educação do Campo, Formação de Educadores, Pronera, Procampo

Resumo

Este artigo objetiva apresentar reflexões acerca de parte relevante da história da Educação do Campo a partir da conquista de duas políticas específicas de formação de educadores: o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária, vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, e o Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo, vinculado ao Ministério da Educação. Faz, inicialmente, um rápido resgate histórico da formação de professores na perspectiva da educação rural, apresentando, após, os principais aspectos que integram formação de educadores a partir do Movimento da Educação do Campo. Na sequência, são expostas as estratégias de execução dos dois Programas citados, cuja materialidade de origem vincula-se à luta pela terra e pela permanência dos camponeses nela, aliando-se a esta luta novas práticas formativas de educadores do campo. Conclui-se apresentando alguns desafios a serem enfrentados para potencializar os resultados dessas políticas específicas de formação de educadores, a partir dos principais objetivos do Movimento de Educação do Campo.

Biografia do Autor

Monica C Molina

Doutorado em Desenvolvimento Sustentável. Pós-Doutorado em Educação pela Unicamp. Docente da Licenciatura em Educação do Campo e Diretora do Centro Transdisciplinar de Educação do Campo da Universidade de Brasília.

Isabel Antunes-Rocha

Mestre em Psicologia Social. Doutorado e Pós-Doutorado em Educação. Professora Associada na Faculdade de Educação/Universidade Federal de Minas Gerais

Downloads

Publicado

2014-12-19