MODELOS DE DESENVOLVIMENTO: A REFORMA UNIVERSITÁRIA NO EQUADOR ENTRE 1998-2014 E FORMAÇÃO POLÍTICA DAS ORGANIZAÇÕES DE MULHERES POPULARES

Margarita Aguinaga Barragán

Resumo


A presente contribuição acerca da reflexão Educação Ação, permite compartilhar uma análise do processo de educação no Equador, os modelos de desenvolvimento, a reforma universitária impulsionada pelo Estado e, em contraste, o significado e o processo de formação não formal, vivida por organizações de mulheres de setores populares. Essas transformações são olhadas historicamente desde 1998 até 2014, mostrando certos eixos de transformação que foram predominantes no nível de direito constitucional e política pública para fazer avançar o modelo educacional vigente. Da mesma forma, abordamos o que significou os processos de educação informal, a formação de organizações de mulheres, sua abordagem metodológica, os avanços pedagógicos e desafios para a educação formal e não-formal, dentro do campo conhecimento e sabedoria e científico. O sentido de mostrar esses dois planos de reflexão é olhar para o sistema de ensino, a partir das tensões entre o Estado e um dos atores do Equador, que tem sidos as mulheres de setores populares, por um lado receptores da política social, sem um maior envolvimento social e, por outro lado, o progresso e os limites da sua formação propostas políticas em seu questionamento do Estado, realizado, entre outros, pelos processos de formação e participação das bases.

Palavras-chave


Neoliberalismo; Desenvolvimentismo; Reforma Educacional; Educação Ação; Gênero

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v22i2.5475



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo