DETERMINISMOS CULTURAIS FRENTE À LUDICIDADE NA INFÂNCIA: CONCEITOS E CONCEPÇÕES PARADIGMÁTICAS

Jamily Charão Vargas, Helenise Sangoi Antunes

Resumo


Esta escrita contempla a temática da cultura instituída na sociedade e o espaço da infância ao longo dos tempos, discutindo a vivência das atividades lúdicas na primeira infância. Dessa forma, proporciona uma reflexão frente à percepção e à vivência da infância, estabelecida pela sociedade em cada tempo histórico. Utilizam-se autores como: Áries (1986) e Kramer; Leite (1998) para discutir a infância; Château (1987), Brougère (1995), Nogueira (1998), Santos (2000) e Negrini (2000) para a abordagem dos aspectos da ludicidade e sua importância ao desenvolvimento infantil; bem como Morin (1991), Pérez Gómez (2001), Neves (2002) e Santos (2002) a fim de entender os determinismos culturais na sociedade contemporânea, abordando aspectos da cultura escolar de hoje. Busca-se uma compreensão histórica de como a ludicidade está sendo vivenciada nos espaços-tempos infantis e, mais especificamente, na escola. Assim, acredita-se nas práticas lúdicas como atividades relevantes e, mesmo necessárias, para um bom desenvolvimento infantil, salientando que estas devem estar presentes nas práticas educativas em tempos de avanços econômicos, tecnológicos e industriais.

Palavras-chave


Escola - Ludicidade – Infância – Cultura – Determinismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v18i2.591



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo