CFP para dossiê internacional sobre narrativas dos usuários

Editores convidados:
Antoni Roig, Universitat Oberta de Catalunya, Barcelona, España.
Fernanda Pires de Sá, Universitat Oberta de Catalunya, Barcelona, España
Willian Fernandes Araújo, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, Brasil

São aceitos artigos originais em português ou espanhol
Data limite de envio dos artigos completos: 10 de setembro de 2017

Passamos a viver mais conectados, com quase todas nossas atividades e rotinas vinculadas à Internet por meio de diferentes dispositivos, aplicativos e redes sociais. Essa constante conexão tem gerado a possibilidade de expandir as narrativas das pessoas comuns, geralmente chamados no contexto das mídias digitais pelo problemático termo ‘usuários’.

Vivemos em uma época na qual a cultura do faça você mesmo (DIY, Do-It-Yourself) e o conteúdo produzido por usuário têm relevância especial, seja como expressão pessoal ou como apropriação de outras narrativas. De um lado, nos deparamos com uma diversidade de formas narrativas pessoais: os feeds, stories ou snaps (efêmeros ou permanentes) que compartilhamos em redes sociais visuais como Instagram e Snapchat; as selfies, os tutoriais, as transmissões ao vivo (Snapchat, Instagram Stories, Facebook Live, Periscope, etc.), a socialização por meio de aplicativos como Whatsapp, Telegram ou Messenger, entre outros aplicativos e mídias sociais. De outro lado, encontramos conteúdos gerados por usuários que surgem como adaptação, expansão ou transformação na forma de paródias, memes, mashups, clipes musicais, etc. Esse tipo de conteúdo pode gerar dinâmicas próprias de participação, mais próximas a formas de criação coletivas, assim como dispõe de suas próprias formas de propagação por meio de distintas plataformas e redes. A estética própria do conteúdo gerado por usuário tem permeado também indústrias culturais ávidas por novas formas de atingir públicos jovens, fazendo com que programas de televisão ou campanhas publicitárias se apropriem dessas formas narrativas.

Para além das narrativas com imagens, áudios ou textos, nossas vidas também passam a ser narradas em ambiente digital por dados e métricas. Com o crescente uso de dispositivos chamados inteligentes, se torna possível medir e compartilhar os quilômetros que corremos, o tempo que dormimos em uma noite ou as calorias que consumimos em cada refeição. Ao mesmo tempo, as próprias plataformas digitais passam a interagir com essas narrativas e atuam ao sugerir o que queremos consumir com base em nossos hábitos e preferências. Nesse sentido, dados, algoritmos e plataformas também passam a moldar nossas experiências e nossas narrativas pessoais por meio das interações que mantemos com eles.

Neste dossiê, buscamos reunir pesquisadores que adotem enfoques diversos sobre as narrativas dos usuários. Nosso objetivo é repensar como pesquisamos as práticas narrativas pela perspectiva dos usuários e diante das complexidades contemporâneas (socioculturais, políticas e tecnológicas), nas quais os humanos e os não-humanos, o digital e o material fazem parte do nosso dia-a-dia, da forma como contamos histórias. Também esperamos receber trabalhos que abordam as tendências futuras e novas metodologias dentro dessa perspectiva.

Os temas e linhas de pesquisa do dossiê incluem os seguintes tópicos (não se limitando a eles):
- os youtubers e os novos tipos de celebridades digitais;
- as selfies e outras formas de narrativa pessoal por imagens e vídeos;
- as práticas de monitoramento de si ou self-tracking;
- a relação entre as experiências dos usuários com plataformas de mídias sociais e algoritmos;
- a produtividade dos fãs por meio dos trabalhos da apropriação de obras de ficção populares;
- a relação entre a atividade dos usuários, suas histórias e co-viewing como prática social (TV Social);
- o consumo como experiência narrativa;
- novas metodologias para estudar as narrativas dos usuários;
- a interrelação entre as narrativas próprias dos usuários e os meios tradicionais, como a televisão e a publicidade;
- o papel das narrativas pessoais online na prática jornalística.