Capital simbólico, tradição e tecnologias: jornais centenários do Brasil em busca de um novo modelo de negócio

Hérica Lene Brito

Resumo


Este artigo busca discutir o contexto de crise da indústria jornalística a partir das estratégias de sobrevivência dos jornais impressos que atingiram ou ultrapassaram a marca temporal de um século de circulação no país, e que estão localizados em regiões metropolitanas. Esta abordagem traz resultados da pesquisa Jornais centenários do Brasil: como e por que sobrevivem em tempos de convergência midiática?. Em 2017, de acordo com a lista da Associação Nacional dos Jornais (ANJ), existiam 28 jornais com mais de 100 anos de circulação no país. A metodologia foi pesquisa bibliográfica, entrevistas com dirigentes (diretores, editores ou chefes de redação) e Análise de Discurso. E teve como aportes teóricos abordagens sobre memória, história, tradição, jornalismo, temporalidade e convergência cultural e midiática.

Palavras-chave


Comunicação; Memória; História; Jornais centenários;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rzm.v6i2.12559