A linguagem como caricatura do fato jornalístico: a criação literária de Erico Verissimo em O resto é silêncio

Autores

  • Eduardo Ritter Universidade Federal de Santa Maria/Professor adjunto

DOI:

https://doi.org/10.17058/rzm.v8i2.8166

Palavras-chave:

jornalismo, literatura, narrativa, história

Resumo

O jornalismo e a literatura sempre estiveram presentes na vida e obra de Erico Verissimo. Considerado um dos maiores romancistas brasileiros, Verissimo atuou durante quase uma década no jornalismo, chegando a ser o presidente-fundador da Associação Riograndense de Imprensa. Dessa forma, o escritor levou apara a ficção o seu conhecimento obtido durante a atuação no campo jornalístico. Esse artigo faz uma breve análise das técnicas narrativas utilizadas pelo romancista em O resto é silêncio.

Biografia do Autor

Eduardo Ritter, Universidade Federal de Santa Maria/Professor adjunto

Eduardo Ritter professor adjunto do Departamento de Ciências da Comunicação (Decom) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), campus Frederico Westphalen. Doutor em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) com estágio doutoral na New York University (NYU).

Downloads

Publicado

2021-04-12

Edição

Seção

Seção Livre