Midiatização na cobertura dos meninos Aylan Kurdi Omram Daqneesh: os refugiados no radar do mundo

Anelise Rublescki, Mariana Haupenthal

Resumo


Partindo do conceito de midiatização, o artigo propõe uma discussão a partir do caso do afogamento do menino refugiado sírio Aylan Kurdi, amplamente discutido na mídia e pela sociedade, após uma foto ser veiculada na qual o menino de três anos aparece, sem vida, de bruços, na beira de uma praia na Turquia, após uma tentativa sem sucesso de chegar à Grécia, e de Omran Daqneesh, outro menino sírio que comoveu o mundo ao ser fotografado e filmado coberto de poeira e sangue dentro de uma ambulância em Aleppo, um dois lugares mais atingidos pelos conflitos no país. A escolha da temática se justifica pela pertinência no âmbito social atual, pela discussão da representação dos refugiados na mídia, além de contribuições para a área da comunicação e estudos de cultura. Metodologicamente, trata-se de um estudo teórico-empírico, desenvolvido com revisão bibliográfica e estudo de caso. Em um momento em que a globalização "encurtou" fronteiras e considerando o impacto que a imprensa midiatizada tem na sociedade, evidencia porque o caso foi além de ser apenas mais um acontecimento jornalístico. Demonstra que a imagem se tornou símbolo da crise migratória, propondo um discurso mais humanizado e uma mudança - podendo ou não ser momentânea - na cobertura da chamada crise migratória que a Europa vive.

Palavras-chave


Midiatização; refugiados; jornalismo internacional; Aylan Kurdi; Omran Daqneesh

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rzm.v5i1.8506