A linguagem e o eu/nós

Luiz Henrique Touguinha de Almeida

Resumo


Ocupa-se, o presente, de uma pesquisa em documentos impressos e digitais no sentido de estudar a origem da linguagem e seu aspecto social e constitutivo do ser. A fim de cumprir sua finalidade, ampara-se em estudiosos como Heidegger, Humboldt, Vygotsky, Tomasello, entre outros, e em sites como http://www.filologia.org.br, http://www.apario.com.br/forumdeutsch/revistas, entre outros. Justifica-se o estudo a partir da indefinição, ainda que por séculos venha sendo estudada, da origem de seu objeto, indefinição essa confirmada nas conclusões parciais do trabalho e, também, a partir da necessidade humana de identificar a influência que exerce a linguagem em seu aspecto constitutivo e procedimental, que levou à identificação total com Humboldt e Vygotsky, quando o primeiro defende que o homem somente vê o mundo conforme lhe é mostrado pela linguagem e, o segundo, defende que o significado, indissociável da linguagem, é um fenômeno do pensamento verbal que garante um mundo com conceitos e culturas que se apóiam na linguagem. Ainda, com base nessas idéias dos dois pensadores restou, confirmando que, por mais que se estude sobre o tema, respostas deverão ser buscadas, o seguinte questionamento: de que maneira as diferentes linguagens das tecnologias da atualidade, num contexto globalizado, influenciam a humanidade?

Palavras-chave


linguagem; pensamento; constituição do ser; cultura; sociedade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v36i61.2096

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo