Valores de pertencimento local no jornalismo fronteiriço

Andrea Franciele Weber

Resumo


Este artigo discute a mobilização de significados de pertencimento local em jornais sul-rio-grandenses da fronteira com o Uruguai e Argentina, com o objetivo de entender como o espaço fronteiriço é significado no discurso jornalístico local. Para tanto, foram analisados nomes e slogans de cinco jornais de três cidades-gêmeas que se limitam com a Argentina (São Borja, Itaqui e Uruguaiana) e de duas que fazem divisa com o Uruguai (Quaraí e Santana do Livramento). O referencial teórico e analítico dialoga com a Lingüística da Enunciação. Os resultados mostram que a fronteira é significada nos jornais a partir de movimentos de inclusão e exclusão do país adjacente como constituinte do espaço fronteiriço local. Tais movimentos dependem, entre outros fatores, da relação com o “outro lado”, que é historicamente e diferentemente constituída em cada ponto específico da fronteira gaúcha.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v36i61.2514

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo