Os labirintos da memória, da história e da representação do sujeito feminino em El Dock, de Matilde Sánchez

Raquel Holstein S. dos Santos

Resumo


A literatura de autoria feminina, na América Latina, a partir da segunda metade do século XX, fortaleceu-se, tendo em vista o início de um movimento de representação da mulher por meio do texto ficcional, partindo, em diversas obras, de fatos históricos conflituosos presentes em alguns países, entre os quais as problemáticas provenientes de regimes ditatoriais. Em tal contexto, por meio de uma abordagem interpretativa e analítica, conforme as contribuições dos Estudos Culturais de Gênero, do Pós-Colonialismo e da Regionalidade, busca-se, através da memória, desvelar um passado ainda presente, com foco na representação do sujeito feminino, redimensionando o discurso, através da obra El Dock, de Matilde Sánchez, de modo que a narradora transita entre o ontem e o hoje na tentativa de (re)organizar-se na condição de sujeito feminino.

Palavras-chave


Memória. História. Representação do sujeito feminino. Literatura latino-americana.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v40i69.5988

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo