Montes, de Morosoli: sujeito e discurso no sem-fronteiras de si mesmo

Maria Thereza Veloso

Resumo


Tendo um conto de Juan José Morosoli como materialidade significante, apresenta-se aqui uma breve análise sobre como se estrutura e transita, no espaço simbolicamente possível de ser identificado como da tríplice fronteira brasileiro-argentino-uruguaia, o discurso constituído por uma formação discursiva crioula, resultante da confluência de duas memórias. Uma delas é ideologicamente identificada com a voz do europeu colonizador, enquanto a outra se articula na e pela voz de sujeitos nascidos na porção sul do continente americano. O objetivo é chamar a atenção para o processo de construção desse espaço discursivo e do discurso-espelho que o sustenta, articulado pelo ponto de encontro dessas duas memórias, em que ao fundo da própria imagem se desvela seu já-lá fundador. A fundamentação teórica para as reflexões aqui contidas vem da Análise do Discurso de filiação francesa.

Palavras-chave


Discurso e Sujeito discursivo. Memória. Identidade pessoal e social. Identidade discursiva.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v40i69.6698

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo