Adolfo Bioy Casares e Mario Bellatin: sobre cartas sem corpo e falésias

Karla Fernandes Cipreste

Resumo


Propõe-se uma leitura de dois escritores hispano-americanos – Adolfo Bioy Casares e Mario Bellatin – com o propósito de refletir sobre discursos de poder, incluído o âmbito da Crítica Latino-americana. Entendem-se as experiências dos personagens de suas obras, e também o ethos de ambos os autores, como uma existência ética e estética que resiste às tentativas de categorizações. A proposta se faz à luz do conceito de Comunidade, do filósofo italiano Roberto Esposito, e da discussão de Hugo Achugar sobre o local e o global na América Latina. Duas imagens inspiram essa análise: a carta sem corpo em Dormir al sol, de Casares; e a falésia de Bellatin em Los fantasmas del masajista.

Palavras-chave


Crítica Latino-americana. Comunidade. Imaginário.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v41i72.7118

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo