Me engana que eu gosto! Falácias como mecanismo de produção do riso

Ana Cristina Carmelino, Luiz Antonio Ferreira

Resumo


No processo de persuasão estão implicados diferentes tipos de argumentos. Há aqueles que parecem convincentes para grande parte do auditório, mas são falaciosos, produtos de raciocínios falsos, que apenas simulam a veracidade de um fato, acontecimento ou opinião. Conhecer os tipos de falácias é relevante para evitar armadilhas lógicas no processo argumentativo bem como para analisar a argumentação alheia. Este artigo pretende tratar desses argumentos a fim de desvelar outra função exercida por eles na arte de argumentar: a de produzir humor. Para isso, busca-se demonstrar como diferentes textos humorísticos se utilizam de falácias para provocar o riso. O corpus de análise consiste em exemplos retirados das edições impressas de 2015 da versão brasileira da revista MAD, um periódico de humor publicado no país desde 1974. O referencial teórico que fundamenta as análises advém da Retórica e da Lógica.

Palavras-chave


Falácia. Argumentação. Humor. MAD.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v42i73.7998

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo