Guimarães Rosa, colecionador de palavras – uma leitura da poética das listas, em Grande sertão: veredas

Autores

  • Ivana Ferrante Rebello Universidade Estadual de Montes Claros/ UNIMONTES, Minas Gerais.

DOI:

https://doi.org/10.17058/signo.v42i74.8614

Palavras-chave:

listas, Grande sertão, veredas, poeticidade, Guimarães Rosa.

Resumo

A escrita de Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa, apresenta uma série de listas, superpostas, que contribuem para conferir ao romance movimento e musicalidade. A partir das reflexões de Umberto Eco, em A vertigem das listas (2010), este artigo analisa o efeito poético das listas que compõem a escrita do romance. Enumerações de palavras, ditos populares, nomes de plantas e animais compõem as listas que estão presentes nas cadernetas do autor. Essas listas, que serviram de suporte à escrita inventiva do autor, também aparecem de forma abundante em sua ficção. Propomos, no presente estudo, uma reflexão acerca das imagens, da musicalidade e do ritmo que as listas superpostas conferem ao romance.

Biografia do Autor

Ivana Ferrante Rebello, Universidade Estadual de Montes Claros/ UNIMONTES, Minas Gerais.

Professora Departamento Comunicação e Letras, UNIMONTES, MG. Professora pós-graduação de Letras/ Estudos Literários, UNIMONTES.

Downloads

Publicado

2017-05-26

Edição

Seção

vol. 42, nº 74 – Guimarães Rosa